Com nome certo :), nova revista gay brasileira chega às bancas – UPDATED

Junior

Não leitores essa não é minha revista, apesar dos nomes coincidirem. Mas conheço algumas pessoas que trabalharam muito para ver esse produto nas bancas e por isso faço questão de divulgar.

Ainda me lembro de quando, há cerca de um ano, alguns amigos comentaram desse projeto e do nome, Júnior. Me senti mega homenageado. Ok, eu divido esse sentimento com o meio mundo de filhos que herdaram o nome do pai.

Brincadeiras a parte, a proposta da Junior é bem bacana e deverá tampar uma lacuna no mercado de revistas brasileiro, a do público gay que não se contenta com o universo bíceps, tríceps e quadríceps (exagerei?). Isto é, o gay que quer informação trabalhada e apurada.

Vou parar com o baba ovo por que nem eu comprei a minha ainda então sou suspeito. Mas to apostando na idéia.

Boa sorte Marcelo Cia e todos do MixBrasil.

PS: Enquanto isso a especulada Romeo, da editora Abril, adormece na gaveta.

Updated ( 23/09) – A análise

Demorou alguns dias mas finalmente comprei um exemplar da nova revista Junior. Em uma única sentada foi possível ler o material de cabo a rabo. Na minha humilde opinião o saldo é positivo apesar de achar que muito ainda pode ser feito.

Gostei bastante da matéria “Boys Wanna dance”, que traz o perfil de alguns bailarinos brasileiros fotografados em peças de novos estilistas, e também da entrevista com o uruguaio Dani Umpi (não conheço e me deu bastante vontade de correr atrás). Stéphane Malysse assina ótimo artigo sobre a “corpolatria” da sociedade atual e a escolha do modelo Lucas Pitioni, que está na capa, também foi tiro certeiro. Simplesmente lindo!

A matéria “Conversa afiada” não me agradou. Achei cansativo o modelo de texto adotado. Meio solto demais, meio conversa de boteco. Muitos detalhes desinteressantes acabam valorizados para sustentar essa tal “conversinha” com os convidados. E detesto entrevista sem uma apresentação razoável dos entrevistados.

O design também poderia ter sido mais ousado. Principalmente na capa, que não se destaca em banca. Nem a beleza de Lucas salvou o enquadramento batido e a chamadinha “3,2,1 … blá blá blá”. O editorial “Jeans Glam Jeans” até começa bem mas não ultrapassa as quatro páginas (hein?). E alguns erros de digitação acabam estressando um pouco, mas nada que uma revisão a mais não resolva.

Por se tratar da primeira edição, e também de um mercado tão carente, acho que a revista se sai bem. O vendedor da banca onde comprei a minha até disse que tinha vendido bastante. Mas não sei se eu assinaria, por exemplo. Ainda preciso ser convencido mais um pouco. Vamos esperar as próximas.

Jr*

7 comentários

Filed under Lifestyle, Moda e design, Tolerância

7 responses to “Com nome certo :), nova revista gay brasileira chega às bancas – UPDATED

  1. O GAY SEM PINTO, de ANDRÉ FISCHER
    … ou os filhos mais queridos do Capitalismo de Ficção
    Por: NUCOOL – http://www.4pixel4.com

    O capitalismo de ficção descobriu que, apesar de gastarem muito com a boate, a academia, a underwear e o dealer, tem sobrado dinheiro nas mãos da frágil comunidade gay brasileira. Não é atoa que a Editora Abril está de olho nesse mercado, assim como a Editora Peixes e a revista JUNIOR, recém lançada no mercado para os moradores de Ipanema, Moema e Jardins.

    Quando eu disse a minha mãe que fazia sexo com outros homens, ela me disse que eu poderia fazer o que quisesse da minha vida, mas que ela não gostaria de ver esse meu estilo de vida de perto*.

    Parece que a sociedade não mudou muito, mesmo entre os heteros mais amistosos. A sensação de desconforto é visível, quando duas pessoas do mesmo sexo, deixam o discurso intelectual e partem para o contato físico, sejam simples beijos e abraços.

    A Rede Globo, criou gays idiotamente perfeitos na atual novela das 8. Lindos, másculos, amigos, bem sucedidos, mas sem a manifestação dos desejos da carne. A revista JUNIOR, também purificou os gays, atendendo as necessidades do mercado, e lançou o Gay sem Pinto.

    O capitalismo de ficção, disse, tá bom vocês podem ser gays, querem sair da marginalidade? Mas eu dito as regras de como vocês devem se comportar. Quero vendê-los ao mercado. Quero o dinheiro de vocês.
    Quero só os de tórax perfeito e sedutores (como diria a minha amiga Abusada: SÓ AS TETUDAS!). Ok, podem ser artistas e excêntricos. Mas sem pinto! Essa é a fórmula da revista JUNIOR, que apostou nos descamisados!
    A revista é graficamente bonita e não podemos deixar passar a presença de Stéphane Malysse e David Le Breton nesta edição. Claro que já antes citados no PÓS-GAY da NUCOOLEXPERIENCE: http://www.orkut.com/Community.aspx?cmm=1354445

    Meus agentes infiltrados nessas editoras, me contaram que a conversa da cúpula é não apresentar o “gay genital”, porque os homens heteros que administram o dinheiro, não gostam de pinto, além do próprio. Para nós leitores, o discurso vem maquiado num tal de “não explícito”, mas erótico! Não que eu precise de uma revista para ver homens nus, o papel nunca foi meu fetiche. Tão pouco preciso de uma revista gay! Como disse Dani Umpi, na própria revista, acredito na mescla de mundos e não gosto de guetos. O mundo mudou e ter como referência as revistas Têtu, Out ou a Zero isso ficou nos anos 90! O mundo se transformou, a problemática é humana, quero mais é saber como administrar a vida nesses novos tempos!

    A fórmula editorial original da respeitada revista dos “machos”, a Playboy, sempre foi conciliar bons textos com peladonas mostrando a buceta, sem medo. Isso é atitude, poder e política!
    Por que o sexo e o corpo feminino é elevado a condição de artístico e esse corpo masculino, abaixo da cintura, os próprios gays acreditam ser vulgar? Será que esses oportunistas, disfarçados de militantes querem fazer algo realmente político e informar, ou somente lançarem livrinhos de culinária e revistinhas adequadas para encherem o bolso de dinheiro rosa?

    Se vc é um júnior, recém-chegado ao mundo cor-de-rosa, não muito adequado aos padrões estéticos propostos por André Fischer, corra para o supino e ao cirurgião plástico, pelo que a revista mostra não existe espaço para você. Ou se mate!

    Inteligente é não pagar para consumir o que vc encontra de graça no mundo virtual!
    PASOLINI:

    * Anos depois, minha mãe se arrependeu da frase e meu pai tem mais amigos gays do que eu! O texto foi escrito sob o espírito do vinho sul africano ORACLE-SHIRAZ, vendido no Pão de Açúcar.

  2. Marcelo C.

    E vc vem trabalhar quando com a gente?

  3. Jr

    Adoro participações com sangue na veia…. por isso resolvi replicar o comentário assinado por NUCOOL…

    Acho que falou-se muito, e ficou até bonito não fosse a mistureba de coisas que acabou dificultando o entendendimento da mensagem principal do texto…

    Li várias vezes o comentário tentando achar um fio condutor e juro que parece uma salada mista, que por isso mesmo pode ser retrucada facilmente…

    O desconforto citado no parágrafo 3 por exemplo já virou passado para mim. Acredito que algumas pessoas, como eu, tenham realmente amigos héteros que não se incomodam com o fato de eu beijar o abraçar meu namorado (e olha que faço isso bastante)….

    Quanto ao não apresentar o “gay genital”, prefiro acreditar que trata-se de uma postura editorial da revista que é produzida pela mesma redação do MixBrasil, site onde reportagens e “putaria” convivem no mesmo espaço. Viva a pluralidade de modelos! Por que comparar com a Playboy, se temos a TRIP, que também não escancara a genitália feminina. Que venha o modelo editorial playboy! Que venham vários modelos e idéias novas, que melhores ou piores estarão seguindo o trabalho pioneiro da Junior…

    Outra. Pelo pouco que eu conheço de André Fisher não acho que ele queira propagar o padrão estético do homem de torax perfeito. Vide a silhueta do cara (com todo respeito André)…

    E onde o filme do Pasolini entra nisso tudo?…

    Resumo: sem muito espaço ou tempo para se manifestar, o melhor a fazer é ter foco em um único ponto, para não perder a coerência….

    Vc fez spam desse comentário em todos os blogs que falaram da revista?

  4. Jr

    Marcelo você pode marcar quando quiser a entrevista pro emprego tá?…..hehehe….. zoeira…. mas quem sabe não sugiro umas pautas como colaborador….😉

  5. Junior, faço das suas, as minhas palavras. A revista é bem bacana e quase cutting-edge pelo ângulo da idéia e dos anunciantes (ao menos em uma publicação brasileira), vai.

    Ilustração e design, já já, num layout 2.0.

  6. Pingback: Junior vs DOM. Qual delas você vai ler? «

  7. LINDOS E MARAVILHOSOS VCS SAO WANDHO

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s